Páginas

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

DIGNIDADE

Ontem tivemos uma rodada não exatamente como esperávamos e torcíamos... Apesar do Internacional, com dificuldade, ter feito a sua parte, e o Goiás nos presentear com uma brilhante atuação e muito profissionalismo, o resultado que a Colorada aqui mais temia aconteceu: o Flamengo ganhou do Corinthians!!!

Infelizmente, não por culpa do Corinthians, mas sim por nossos próprios erros, chegamos na última rodada domingo que vem dependendo do nosso maior rival para nos sagrarmos Campeões... O Rio Grande do Sul amanheceu estranho hoje, afinal, os vermelhos estão de azul, já os azuis são rubro-negros e tudo virou uma confusa salada de frutas temperada por um só ingrediente: a rivalidade!

O assunto aqui nos Pampas não é outro senão este fato de Inter e GFPA, cada um da sua forma, estarem envolvidos nesta final onde sai o campeão. Após o fim da rodada, entrevistas e mais entrevistas de ambas as partes foram dadas e uma palavra nunca foi tão usada quanto a palavra digninidade.

A cobrança e as rezas, por parte da massa vermelha, são pedindo que o GFPA seja digno e jogue seriamente contra nosso rival na busca desta taça. Que o nosso “irmão” honre as suas três cores que o denominam de tricolor e dê seu melhor no Maracanã. Mas agora pergunto, num dia que tanto se fala em dignidade, onde fica nossa dignidade torcedor do Internacional????

Provavelmente, neste momento, vocês não tenham entendido onde quero chegar... Pois bem, explicarei. Vamos parar de implorar para o rival ser o que não foi o campeonato todo e honrar a nossa dignidade agora! O GFPA, que se denomina o copeiro, o de alma castelhana, o que nunca mataram, nem se quisesse e muito menos com o time titular ganharia do Flamengo no Maracanã, sendo que neste campeonato eles assinaram o atestado de time caseiro. Não sei porque a torcida rival está se achando tão dona da situação, nos olhando e dizendo: vão ser vice por nossa causa... Faça-me o favor né!!!! Vamos nos respeitar e parar de pedir arrego para quem não tem nada o que fazer, mesmo que quisesse fazer!

O Inter não será vice por causa do excelentíssimo GFPA, ou por causa do Flamengo, ou por causa de qualquer outra coisa... O único culpado por esse vice é o próprio Internacional que perdeu pontos preciosos, que insistiu em jogadores que jogam uma vez a cada dez jogos, por causa da direção que insistiu até a coisa desandar num treinador que não estava respondendo e nas notinhas verdes que fizeram jogadores essenciais serem vendidos no meio da competição... perdemos pra nós mesmos...

Então, meus amados COLORADOS, preservem sua dignidade e parem de reforçar a fantasia tricolor que eles podem alguma coisa e que eles decidem quem ganha! Se formos campeões, pois ainda há um fiozinho de esperança aqui dentro, será por obra divina, pois vai que Ele seja INTERNACIONAL e não permita nosso irmão rubro-negro fazer gol... Mas também, só assim... Entreguei nas mãos de DEUS!!!!!!!

♫ COM NOSSOS BUMBOS E AS NOSSAS BANDEIRAS HONRAMOS AS CORES DESTA CAMISETA ♪

domingo, 29 de novembro de 2009

Temos chances!

Emoção, ansiedade, frio na barriga, eis o criticado campeonato dos pontos corridos! A cada rodada uma novidade, uma surpresa. Estamos nos aproximando da última rodada do campeonato e não sabemos quem será o campeão. Todos os integrantes do G4 tem chances de chegar ao título. Com a vitória hoje em Recife, o Inter garantiu a vaga na Libertadores da América do ano que vem, é óbvio que não queremos só isso. Não queremos mesmo, porque ainda nos resta a esperança, a confiança.
Falando do jogo de hoje, eu vi um time um tanto confuso, porém com raça. O Inter foi pro vestiário perdendo por um gol. Voltou com um futebol mais ofensivo, mais homogênio. Mário Sérgio colocou o iluminado Andrezinho no segundo tempo, que deu ao Inter a tão apelada vitória.
Domingo de expectativa, emoção e esperança.
Em todo o ano, secamos o Atlético Mineiro, Palmeiras, São Paulo e, quem diria, é o Flamengo que teremos que secar na última e decisiva rodada. Ainda tivemos o azar do adversário ser o gfbpa, mas vamos lá! A calculadora da Marcela ainda nos serve: precisamos vencer, somente vencer, para chegar aos 65 pontos. Se o Flamengo perder vai ficar com 64, assim, seremos campeões. Se o Flamengo empatar vai ficar com os mesmos 65 pontos do Inter, assim, seremos campões pois temos mais vitórias.
Infelizmente, o Inter não depende apenas de si para vencer esse campeonato. Mas depende apenas de si para mostrar ao torcedor toda a sua raça, toda o seu vigor. Não adianta negarmos que vamos precisar de uma ajudinha do co-irmão, mas vamos evitar pensar nisso. Vamos sintonizar nossas vibrações com o nosso apoio. Domingo contra o Santo André, vamos lotar o Gigante, vamos mostrar a nossa força, torcedor.
Aos que ainda não acreditam no título, eu confio, eu acredito!

(Post que marca a minha volta ao Nação Gigante)

ESPERANÇA

Esperança - Do latim sperare. Sentimento que leva o homem a olhar para o futuro, considerando-o portador de condições melhores que as oferecidas pelo presente, de tal sorte que a luta pela vida e os sofrimentos são enfrentados como contingências passageiras, na marcha para um fim mais alto e de maior valor. Do ponto de vista teológico, a Esperança é uma virtude sobrenatural, que leva o homem a desejar Deus, como bem supremo (Pequena Enciclopédia de Moral e Civismo).
Genericamente, a esperança é toda a tendência para um bem futuro e possível, mas incerto. Psicologicamente, tensão própria de quem se sente privado de um bem ardentemente desejado (imperfeições), mas que julga poder alcançar por si mesmo ou por outrem. A esperança diz respeito aos bens árduos e difíceis, porque não dependem apenas da vontade de quem os espera, mas também de circunstâncias ou vontades alheias, e que, por isso, a tornam de algum modo, incerta e falível. Justaposta às esperanças do dia-a-dia, há a grande esperança, ou seja, um vínculo permanente entre a espécie e o seu criador (Polis - Enciclopédia Verbo da Sociedade e do Estado).


Só digo isso: Hoje sou Inter, Goiás e Corinthians.
Muitos dizem que é impossível, mas não é não.
São Paulo tem Goiás lá no Serra Dourada.( Jogo Difícil)
Flamengo tem o Corinthians.( Não duvido que esse jgo termine empatado)
Agora temos que nos preocupar com nosso jogo.

Boa sorte à todos.

ACREDITEM!

Se há um dia, esse dia é hoje.

Preparem-se.

Esta tarde tem tudo para ser uma daquelas de mexer com os sentimentos de meio ou de todo o estado do Rio Grande do Sul. Se acontecer as tão sonhadas combinações de resultados, o Internacional pode assumir a liderança e depender apenas de si para ser Tetra Campeão Brasileiro no ano do centenário e fazer uma virada gigantesca em tudo que foi dito.

Se Deus quiser, hoje será o encaminhamento para a maior festa que o sul do país já viu depois do 17 de dezembro.

Reze, faça todas as artimanhas que você acredita que dê sorte ao clube do povo. Chore, torça. Vamos Inter, rumo ao 6 de dezembro mais feliz de nossas vidas.

sábado, 28 de novembro de 2009

Entrevista com Marcela!

Salve amigos do Nação!

Hoje venho aqui falar da entrevista que nossa querida companheira de jornada do Nação GIGANTE deu no Esporte Total - conhecido como E.T. - sobre sua vida no meio do futebol, blog... Então, ande logo e vá correndo conhecer o blog e ver a bela entrevista de uma das melhores blogueiras que conheço!

Clique Aqui!

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Por cerveja? Não, por gratidão

Há poucos dias, participei de um torneio de futebol na minha escola técnica. Formamos um time da nossa turma mesmo e jogaríamos com turmas com um futebol bem mais entrosado, por estarem em semestres mais adiantados que o nosso. Duas chaves de 4 times, participando módulos diversos dos cursos de Química, Informática e inclusive o Ensino Médio noturno.

No dia do campeonato, chovia bastante e como foi num sábado pela manhã, os participantes demoraram um pouco a chegar. Eu acabei chegando cedo, e vi praticamente todos os times que competiríamos chegando. Todos eles possuíam camiseta própria, uma “marra” de já saber como jogam um com o outro e se sentindo os melhores.

Nosso primeiro jogo foi com um time do segundo módulo de Informática e estávamos ganhando com autoridade e perdendo muitos gols. Porém, o placar de 1 a 0 é sempre perigoso e acabamos cedendo o empate nos minutos finais. Ficamos bastante chateados, pois merecíamos a vitória, mas sabemos que futebol não é sinônimo de merecer.

O segundo jogo, com a turma de Ensino Médio – a melhor talvez – e mesmo com um jogador a mais, acabou com o mesmo resultado anterior e também controlamos o jogo, perdendo gols e entregando o resultado no final. Esse jogo sim causou discussões na minha equipe pela perda de gols e bobeiras defensivas.

Com a combinação de resultados, estávamos em terceiro e precisávamos ganhar o último jogo – com mais uma equipe de segundo modulo de Informática, que inclusive não tinha mais chances e estava com um jogador a menos – para ficarmos em segundo na chave e disputar o 3º lugar da competição.

Parecia ser simples, mas não foi. O time adversário fez uma retranca dos infernos, e mesmo com um jogador a menos nos causou dificuldades e com a frequente perda de gols, não conseguíamos abrir o placar e em um contra-ataque acabamos ficando com um gol a menos no resultado. Aí sim, que pra eles não tinha mais jogo! E perdemos a partida, ficando fora da fase final.

Depois, acabamos descobrindo que o time que passou de fase no nosso lugar havia pagado umas “coisinhas” pra eles terem nos vencido. E como entramos com uma pequena soberba na partida por jogar com um time já que não poderia se classificar mais e estava com um jogador a menos, ficou fácil nos derrotar.

E futebol é o mesmo futebol, mesmo sendo futsal, campo, amador, profissional. A soberba e as “malas brancas” acontecem. E nesta penúltima rodada do Brasileiro, o Internacional não pode nem pensar em entrar em campo pensando que já venceu o rebaixado Sport. Certamente se ele nos vencerem, suas contas bancárias ficarão mais enxutas.

E entrando neste clima de ajuda e afins, quem sabe Fernandão e Iarley podem dar mais uma alegria a torcida vermelha? Diferente do que foi o meu campeonato – o pagamento que envolvia cerveja e parecidos –, a gratidão da massa vermelha será o pagamento por tudo que já fizeram por nós. Oremos!

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Manto Sagrado (mazaaaá calculadora)!

E pensar que um dia alguém disse que não dava mais... A sua calculadora, querida irmã Marcela, foi tripudiada por muitos. Mas hoje, finalmente em um jogo de confronto direto, podemos ver que em algum santo lugar, há mãos coloradas. Talvez esses 90 minutos que passaram foram suficientes pro Brasil ver um grupo que está na briga ainda. Não é maninha?

Com certeza mano Jonathan... Eu mesma, em algum momento, joguei a toalha, mas repensei, calculei e voltei a acreditar. Como você mesmo disse, respondendo quem riu da minha calculadora, que se dane a realidade... Pois ela danou-se! Justamente tudo que mais precisávamos aconteceu: nosso Inter venceu fora de casa contra um adversário direto, Botafogo fez o crime contra o São Paulo e o Flamengo tropeçou em pleno Maracanã lotado. Estamos novamente vivos na disputa pelo Brasileiro, que vem se jogando aos nossos braços há muitas rodadas! E dessa vez vamos agarrar ele, não vamos mano?

Claro! Mesmo depois de tantos tropeços (e admito que pensei algumas vezes que o campeonato não nos merecia por jogar tantas chances ao vento), eu ainda acredito. Porém, está cada vez mais claro, que todos tropeçaram e continuam tropeçando, chegando à conclusão que aquele que não errar nesses dois últimos jogos sairá campeão. A nossa tabela é razoavelmente fácil, e aquele secador amigo certamente ajudará neste fim de ano. Mas e o jogo Marcela? Conte-nos mais sobre ele... A defesa colorada cabeceou bolas para fora da área o jogo inteiro e nos portamos bem fora de casa, não é?

É verdade. Nesta noite nosso maior destaque foi a defesa. Apesar de um momento delicado no segundo tempo, onde o Galo fez maior pressão e a zaga se perdeu um pouco em campo, as duas linhas de quatro do nosso esquema foram fundamentais para o triunfo desta noite! Foram duas linhas consistentes que impediram Tardelli e sua turma de atrapalharem nossos planos. Já Segundo Celso Roth, o Internacional se portou como um time pequeno nesta partida... Pois bem Roth, vou concordar com você! (afinal, o freguês tem sempre razão)... Não acha?

Celso Juarez Roth, grande amigo e irmão. E todo freguês tem razão. Rima barata, mas certa. Mais uma vez o Sr. Roth nos entrega alegrias e caretas cômicas à beira do gramado. As suas mãos na cabeça são clássicas e o seu jeito de falar asneira pós-jogo se mantém o mesmo. E parece que quem ia “passar a máquina” na equipe colorada se deu mal. O time se portou como devia, se defendendo e em ataques rápidos tinha chances de terminar o jogo. E também, meio a zero servia. Agora precisamos dos últimos pontos, secar como nunca, pois esse ano ainda tem jeito.

Pois é maninho, ainda tem! Mas como sempre digo um passo é dado de cada vez... E creio que o mais difícil se conseguiu dar hoje, que foi a vitória e a combinação de resultados. Vamos partir para o nosso próximo, que se sair como você, eu e a calculadora, mais a Nação Colorada esperamos, nos deixa na última rodada em casa dependendo somente do nosso empenho para agarrar a taça com as duas mãos! Inter pega o já rebaixado Sport, São Paulo o sério Goiás que pode impor dificuldade e Flamengo o Corinthians com força máxima. Vamos rezar, afinal, hoje tive provas que Deus é Colorado! Temos time para isso e o cara lá de cima dando conta dos nossos adversários... Vamos manter a "maldição" do primeiro turno: quem ganha ele, ganha o campeonato!!!! Ou seja, DÁ-LHE INTER!!!!


Por Jonathan e Marcela.

domingo, 22 de novembro de 2009

Não nos deixeis falhar novamente...

Mas livrai-nos do mal, Amém.

Hoje, o colorado tem mais uma daquelas situações típicas desse campeonato: confronto direto e vida entre céu e inferno. O retrospecto de partidas assim é totalmente desfavorável e nem vou citar aqui o que se passou.

Acabo de escutar o gol do Botafogo. Não tenho mais o que dizer, simplesmente faça o que tem que fazer meu Inter, e seja o que Deus quiser.

Oremos!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Minha Calculadora, por favor!!!!

Estamos em plena 36ª rodada do Brasileirão. E, nesta sexta, a blogueira aqui resolveu deixar suas analogias de lado para ser um pouco mais direta. Ao ouvir alguns colorados falarem que ainda há chance para o título eu pensei: “estão doidos”! Para mim já estava difícil acreditar que a Libertadores era algo certo ano que vem, quem dirá no título. Mas, após o jogo contra o Peixe e algumas resalvas, vejo uma luz no fim do túnel.

Obviamente que todo meu raciocínio depende que o Inter vá para Minas e volte de lá com 03 pontos na bagagem em cima do Galo. Acontecendo este fato, agarro-me na minha calculadora e tabela e não solto mais. Devido à queda de produção do Verdão do Parque Antártica, eu imagino que a Libertadores 2010 é um objetivo alcançado. Contudo, no Ano do Centenário, quero mais que isso. Quero concretizar o difícil, porém não impossível.

No momento atual temos a seguinte classificação:

São Paulo: 62 pontos
Flamengo: 60 pontos
Palmeiras: 59 pontos (um jogo a mais, pois abriu a rodada na quarta com derrota)
Internacional: 56 pontos
Atlético MG: 56 pontos
Cruzeiro: 55 pontos

Rodada deste final de semana:

Botafogo x São Paulo
Flamengo x Goiás
Atlético MG x Internacional
Atlético PR x Cruzeiro

37ª Rodada:

Corinthians x Flamengo
Palmeiras x Atlético MG
Goiás x São Paulo
Sport x Internacional
Cruzeiro x Coritiba

38ª Rodada

São Paulo x Sport
Santos x Cruzeiro
Internacional x Santo André
Flamengo x Grêmio
Atlético MG x Corinthians
Botafogo x Palmeiras


Analisando a tabela e os confrontos que vêm pela frente ainda se pode ter alguma esperança. O Internacional terá que ganhar os 09 pontos que disputará a partir de domingo e os nossos dois principais rivais pela taça, São Paulo e Flamengo, devem ter tropeços. Se o São Paulo ganhar uma partida, deverá perder duas, ou então poderá ter três empates. Já o Flamengo, nosso irmão, pode ganhar uma partida e empatar outras duas. Se isto se concretizar, o Inter pode ser Campeão por critério de desempate, no caso mais vitórias.

O Tricolor encara neste final de semana o Botafogo em desespero para não cair e o Goiás em Goiânia, na próxima rodada, que imagino que não sejam jogos fáceis. Além disso, está com três jogadores suspensos e sem o mando de campo. O que me traz esperança. Já Flamengo pega o mesmo Goiás, depois Corinthians e na última rodada nosso rival Grêmio que com certeza não será um jogo fácil.

Tudo isso depende, mais do que ninguém, do próprio Inter, que deve fazer muito mais que fez no campeonato todo. Na minha opinião, o maior adversário do meu Colorado é ele mesmo. É mais difícil o Inter ganhar as três partidas do que os resultados paralelos favoráveis (que já vem acontecendo há tempo) acontecerem.

Não estou doida, caro leitor... Só deixe encher meu coração de esperanças!!!

Muito difícil, porém não impossível... Estarei contigo Inter até o último minuto!

NÃO TÁ MORTO QUEM PELEIA, TCHÊ!!!!!

♪♫Com nossos Bumbos e nossas bandeiras, honramos as cores desta camiseta♪♫

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Ajuda, mediocridade, brigas e campeonato...

Neste momento do campeonato, ironicamente o nosso maior rival está nos ajudando, mesmo que uma parte da torcida - tanto deles quanto nossa - não queira. Ano passado, essa situação aconteceu também de lados inversos e eles lembram apenas do jogo que o Inter acabou sendo derrotado no Morumbi. Perder lá, não é querer prejudicar ou algo assim e pra refrescar a memória, o colorado ganhou em casa de Cruzeiro e Palmeiras, adversários direto do time da azenha no ano passado.

Essa mediocridade não acontece aqui no sul, pelo menos nessa parte. Todos sabem os defeitos e qualidades dos times daqui e a imprensa pode voltar todas as atenções lá pra Rio-São Paulo, porque o que vimos ontem seria impossível não comentar aqui.

O futebol não pode admitir coisas como vimos no jogo do Brasileiro e nem da Sul Americana. Brigas assim, tanto entre si quanto não aceitando a derrota devem ser punidas de uma maneira muito rígida. Estraga a alegria e perde a emoção.

Mas voltando ao Inter - que nos importa mais é claro -, o jogo de domingo ganha olhares de mais pessoas no Brasil. Como o campeonato deste ano está sendo disputado ponto a ponto, com uma vitória podemos ver o céu e sonhar com o título (porque não?), e com uma derrota sair do G4 e complicar uma volta nele. Que campeonato!

Saudações coloradas e ficamos no aguardo de domingo.

Enquete encerrada!

Qual o melhor atacante do Inter atualmente?

Alecsandro:27%

Taison:19%

Marquinhos:36%

Edu:10%

Alan Kardec:8%

Em breve nova enquete no Nação GIGANTE.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O Silêncio Mortal da Mamãe...

Ontem, mais do que nunca, pensei muito em minha mãe. Não por ela ter sido uma colorada maravilhosa em vida, não pela saudade que tenho dela, mas sim por um único motivo: seu silêncio!

Meus pais, quando vivos, viveram um amor muito forte e não se podia negar que eram loucos um pelo outro. Contudo, como todo bom casal, tinham suas rusgas e de vez em quando rolava um desentendimento! Não é querer defender minha mãe ou ainda puxar a brasa pro lado feminino, porém era sempre meu pai que estava equivocado e ela, conseqüentemente, tinha a razão... Isso era fato lá em casa, um fato sem exceções!!!

Papai era um coração de ouro, bom marido e um pai amoroso. Entretanto, também era um ser humano com muitos defeitos. Tinha um gênio muito forte, certa teimosia e era muito explosivo. E todos nós sabemos (isto já devia estar comprovado cientificamente até... rsrsrs), que falar sem pensar é um problemão. Já minha mãe era uma mulher muito doce, carinhosa e ao mesmo tempo muito forte. Ela tinha personalidade, opinião e não era de baixar a cabeça para ninguém, ainda mais estando certa. Ela, mesmo que delicadamente, sabia se impor e sustentar suas opiniões como ninguém.

Sendo assim, quando havia aquela briguinha básica entre o casal 20, eu já me preparava para uma cena rotineira... Depois da briga, eles ficavam de mal um com o outro. Ou seja, silêncio de ambas as partes. Contudo, quando meu pai esfriava a cabeça e via que novamente estava errado, ficava todo sem jeito e rondando minha mãe. Pois, era neste momento que minha mãe se cobrava com sua tática do “silêncio mortal”. Eram dias sem falar com ele e isso deixava meu pai maluco! A situação chegava a tal ponto que, quando dava aquele desespero, ele ia até ela e quase morria pedindo desculpa, trazia trufas (ela amava estes chocolates) e falava que amava ela mais umas quinhentas mil vezes! Assistir a cena era até engraçado... E além disso, meu pai se comportava por um bom período...

Quando minha mãezinha finalmente cedia e fazia as pazes, olhava-me com um olhar vitorioso que me dizia: “viu como é que se faz”? Portanto, foi com ela que tive uma das lições mais valiosas da minha vida: o silêncio às vezes é o pior barulho!!! (contraditório, mas corretíssimo).

Domingo, 15 de novembro de 2009. Estádio Beira Rio. Foi nesta data e neste local que recordei de toda esta história que compartilhei com vocês, caros leitores. Entro no estádio, vou para onde se concentra a Popular (sempre louca atrás do gol \o/), e preparo-me para protestar em silêncio. Sim, em silêncio.

A torcida se postou com duas enormes faixas de insatisfação, estática e muda. Foi assim que demonstramos para essa direção, que só pensa nas notinhas, nossa insatisfação nesse ano que tinha tudo para ser brilhante. Após 15 minutos de um estádio calado e a primeira chance de gol surgir, ergueram-se os bumbos e o seu tum tum tum tum, junto ao dos nossos corações, chamou todos para cantar novamente e a banda entrou com o canto mais oportuno possível:

♫ Isso é o INTER
Tenha mais raça pois isso é o INTER
Honre a camisa pois isso é o INTER
Somente assim SEREMOS CAMPEÕES ♪

E assim cantamos e apoiamos até o fim do jogo, como sempre é feito!

Pelo visto o time em campo entendeu o recado, pois finalmente jogou melhor e bem. Logo após a quebra do silêncio, o placar já estava em 2x0 ao nosso favor... O time correu, se empenhou e agiu como devia ter agido em todo campeonato. Nosso Inter venceu e ainda por cima retornou ao G4.

Desta tarde, que para mim foi histórica, quero deixar meus PARABÉNS à GUARDA POPULAR COLORADA. Foi brilhante a idéia, além de ter sido um ato pacífico e civilizado. Tenho certeza que o nosso silêncio fez muito mais barulho que qualquer vaia ou xingamento. E o melhor, mexeu com os brios do time, ele correspondeu...

PORTANTO, GARRA TIME.... SEJA GUERREIRO!!!! RESPEITE O MANTO QUE CARREGA, POIS ELE CARREGA NOSSA HISTÓRIA, NOSSO AMOR E NOSSA RAZÃO DE VIVER! SÓ QUEM ESTÁ NA ARQUIBANCADA SABE O QUE É TORCER! VOCÊS ESTÃO EM CAMPO POR DINHEIRO, NÓS NA TORCIDA POR AMOR... _X_

E agora alguém duvida que mamãe está sempre certa??? Esse silêncio mortal da mamãe hein... =D



P.S. A ferinha comigo nessa foto (infelizmente não sei o nome), merece um destaque!!! Ele estava ontem na Popular e tem só dois aninhos. Cantou junto o jogo todo e mostrou que ama o Inter que nem gente grande!!! _x_

Esse silêncio que vale por tudo

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Sou legal apenas, não estou te dando mole!!!!

Mundo moderno... É o que dizem! Ser Humano evoluído... É o que acham!

Vivemos num mundo contemporâneo, cheio de avanços e contradições. Enquanto o ser humano desfruta de seus avanços diários em relação aos seres inanimados, nós os animados vivemos sob as penas de mentes que ainda insistem em raciocinar como nos séculos passados... Ninguém sabe tão bem isso quanto as mulheres, que não conseguem se livrar do hobbie favorito da sociedade: o machismo! O machismo está por todos os lados: no mercado de trabalho e seus salários desiguais; nas tarefas domésticas; nos relacionamentos em todos os níveis (desde a amizade até o casamento); no futebol e até mesmo nos olhos irados de uma mulher que critica sua rival, no fundo querendo ser ela. Pois, dentro deste mundinho, que vivemos de relações, que começa a nossa história!

Mônica sempre foi uma mulher bem resolvida. Viveu com pais amorosos, mas ao mesmo tempo bem conservadores em relação a valores e educação. Sendo assim, fica fácil perceber que esta mulher além de personalidade, possuía caráter. Ela era a caçula de três irmãos, única menina. Por isso, tinha o título de princesinha da casa (isso até perder seus pais e ir viver sozinha). Como o amor foi um tempero muito presente na sua vida, moldou-se uma menina doce, meiga que sabia ter seus encantos como mulher. Ao mesmo tempo em que era tão delicada, era também uma moleca. Tinha um sorriso no rosto que não pagava imposto para surgir e suas brincadeiras eram tão espontâneas que não tinha como não cair no riso. Afinal, ela cresceu num ambiente assim.

Na faculdade, ela criou uma turminha bem bacana. Foi uma das últimas a se enturmar, mas logo, com seu jeitinho cativante, despertou verdadeiras amizades e alguns olhares tortos na turma. Era impossível não notar que Mônica chegou. Mesmo sem querer ser notada, acabava sendo sempre. Talvez algum ar do seu jeito doce, outrora alguma brincadeira feita no improviso e algumas risadas. Os amigos verdadeiros logo se solidificaram na sua vida, pois perceberam que Mônica nada mais era que uma moça pura, sem maldade, bem resolvida, sem medo de falar sobre nada que a turma se propunha discutir. Não tinha vergonha de falar sobre o que pensava, seja qual for o assunto.

Contudo, a turma do olhar torto começou se incomodar e até mesmo falar mal da garota pelas costas. Alguns rótulos já circulavam de boca em boca: que dava mole pra todos os caras, que era vulgar, que era infantil... E por aí vai... Grande injustiça, pois a mocinha era apenas querida, legal. Tratava homens e mulheres sem distinção alguma, com o mesmo carinho e doçura. E nessa galera que queria ver Mônica pelas costas, estava um rapaz conhecido por todos como Cebola. Cebola se sentia atraído por Mônica, mas admitir isso até no seu interior era inadmissível. Ele vivia desdenhando a moça, falando dela, sem ela ao menos ter idéia disso. Por esse motivo, Cebola decidiu que ia conquistar a garota, fazer ela se apaixonar e ficar com ele. Achava que assim poderia tirar a maior onda às custas dela e provar pra todos que ela nada mais era que uma garota fácil.

Nesse intuito, Cebola começa suas investidas. Muito papinho aqui, muito papinho ali (já cantando de galo pros amigos que aquela lá tava no papo, que mulher fácil ele reconhecia de longe), algumas insinuações e cada vez mais se aproximando de Mônica. A garota nem se tocou do que estava acontecendo e não percebeu que o rapaz estava cheio de quintas intenções. Ela o tratava como todos, ou seja, bem. E Cebola, o garanhão, achando que aquele jeitinho era todo premeditado para ele, que era um mole tamanho família. Como achava que estava tudo ao seu favor, para executar seu plano de acabar com a reputação de Mônica, numa bela tarde na facul ele se aproxima e tenta agarrar a moça (afinal, ele era o cara e ela estava no papo). Pois neste momento, enfurecida, Mônica virou e deu-lhe um tapão na cara na frente de todos. Cebola ficou tão surpreso que chegou cair de bunda no chão, enquanto o resto da turma gargalhava da cara dele. Então Mônica, mais calma, falou firme, alto e em bom som:

- Se enxerga garoto! Por acaso acha que é assim? Chega, é fácil e pega? Assimila uma coisa só: SOU LEGAL APENAS, NÃO ESTOU TE DANDO MOLE! Aliás, nunca dei, nem para você e muito menos outro dessa turma!!!

E todos ficaram em silêncio, principalmente os que julgaram Mônica, sem saber a garota maravilhosa que estava ali. Mais uma vez se confirma a velha história: mulher não se pega e sim conquista!!!

O Campeonato Brasileiro de 2009 estava todo para o Inter. Mônica Brasileirão todo dia sorria, tratava bem e estava ali para ser conquistada por Cebola Internacional. Contudo, o Inter achou que a moça era fácil, que estava dando mole e a tratou com total menosprezo, achando que seria só mais uma em sua coleção. E o Brasileirão não perdoou o Internacional por pensar assim. Pois foi lá e lhe deu o maior tapão e hoje nem no G4 estamos.

Cebola Internacional de garanhão favorito virou só mais um na turma. Mas quem sabe agora ele tenha aprendido a lição: não julgar e muito menos achar que está no papo! Mônica Brasileirão nunca foi fácil e para ter ela tem que se suar a camisa... A conquista é um trabalho diário... Ela é difícil por mais que te sorria e pareça querer você!

Então Inter, para o ano que vem, vê se aprende: Brasileirão não se pega, Brasileirão se conquista!!!!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Escolhas e acertos

Em nossas vidas, estamos sempre enfrentando situações as quais possuem opções a serem escolhidas, ocasionando erros e acertos. Grande parte de tudo que vivemos há essa questão e cabe só a nós saber qual caminho tomar. Escolhendo o certo, obrigatoriamente devemos comemorar. E se acabarmos escolhendo o errado, devemos tirar o maior proveito deste erro para tornarmos pessoas mais confiantes, sensatas e não cometer o mesmo engano quando defrontarmos com uma situação parecida. Assim é a vida e sempre será.

Não pense que será fácil escolher o caminho certo sempre. A quantidade que você irá cair é imensamente maior a que você seguirá de pé. O jogo da vida é vencido por quem sabe se levantar mais rápido e se abalar menos com o tropeço. No emprego, na escola, no romance, no futebol.

Lá no seu caminho do trabalho... Onde tu acordas cedo, pega ônibus lotado todas as manhãs e enfrenta pessoas estressadas nas ruas... Chega ao serviço, e encontra um chefe mal-humorado que quer tudo em uma dada hora... Não dá vontade de mandar tudo pra longe? Aí que entra a parte das escolhas. Você tem que aguentar essas coisas, ou pelos filhos que precisa alimentar, ou porque precisa daquilo para viver.

Escola é clássico ter um professor que resolver “pegar no seu pé”. Os pais nunca acreditam na nossa “versão”, mas é a mais pura verdade. Passamos por escolhas ali também, em ser um aluno melhor e mesmo estando errado algumas vezes, passar pelas dificuldades que são impostas.

E no romance? Passa-se trabalho também. Não me condenem por isso, mas é a pura realidade. Você tem mais uma pessoa pra “cuidar” e tem que pensar tudo em dobro. E sempre quem está de um “jeito” prefere o outro. O solteiro, diz que é livre e desimpedido podendo fazer o que bem entender. Mas vai chegar um momento em que sentirá falta. E o casado, reclama que perde a liberdade, porém sempre terá uma pessoa com o maior carinho ao seu lado. Escolhas, escolhas.

E chegamos ao futebol... Especificamente o Sport Club Internacional, que também vive de escolhas. Erradas, aliás, e três anos consecutivos. Pensando que o Brasileiro é um doce, que pode vender jogadores como vende camisetas... Desmontando no fim do campeonato e destruindo todo o castelinho que sempre tem cara de Tetra. Já faz 30 anos que não ganhamos o campeonato nacional, e as escolhas sempre são as erradas. Em 2007, preferiu comemorar o que foi conquistado no ano anterior, deixando de lado a vontade de ter novamente tudo aquilo. Em 2008, não aproveitamos nada... E o que restou foi a Sul Americana que “escondeu” um pouquinho o que foi o ano, nos dando muitas alegrias e emoções naquela final contra os argentinos. Mas nesse ano foi demais. O clima de oba-oba por causa do centenário contagiou a todos e a soberba entrou nos concretos do Gigante, chegando à sala do presidente. Só pensam na festa e dinheiro, e o título tão sonhado, foi deixado de lado. Escolheram festa e não taça. E está sendo refletida a má escolha, nos deixando até fora do G4.

Não vou ser hipócrita, festa é bom e um ano como esse merece ser comemorado. Mas ficando abaixo dos quatro primeiros colocados, será como colocar água em nosso champanhe.

O que me resta dizer? Aprenda com os erros Internacional e seus respectivos dirigentes. Ano que vem quero taça, e escolhas certas.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

O Homem Perfeito para Anna Clara

Anna Clara era uma moça, na sua opinião, comum. Apesar de sua humildade, ela tinha doces e delicados traços, uma pele alva macia, olhos vivos e brilhantes, lábios rosados e um ar tímido que lhe trazia até certo charme. Estava com alguns quilinhos acima de seu peso, mas mesmo assim era dona de um corpo cheio de curvas, que chamava a atenção de muitos homens, mesmo ela achando que ninguém notava a sua presença. Ao auge dos seus 27 anos de idade, a jovem jornalista até poderia se passar por uma adolescente, já que era dona de um ar de menina encantador, apesar de ser madura como sua idade exigia.

Assim como muitas de nós mulheres, ela vivia um amor platônico por um colega de trabalho: Luis Gustavo. O rapaz era o sonho de consumo de 11 entre cada 10 mulheres da redondeza. Era um bom partido: boa vida profissional, estável financeiramente, lindo de morrer, educado, inteligente e milhões de adjetivos que deixariam qualquer ser do sexo feminino babando... Sendo assim, nem preciso dizer que o cidadão era o pegador do pedaço!!!

Nossa menina-mulher, obviamente graças ao seu problema de auto-estima, achava que a última criatura que o tal sonho de consumo enxergaria seria ela. Então, infelizmente, Anna vivia somente a sonhar com Luis, sem ao menos dar uma investida. Era do tipo que preferia não arriscar. Contudo, para surpresa de Clarinha (como a família a chamava), numa bela manhã de trabalho, enquanto ela esperava seu mocaccino na máquina de café, aproximou-se com um sorriso bem diferente o homem que habitava seus pensamentos. Ela sentiu seu coração saltitar e não sabia nem como agir...

- Bom dia Anna Clara!

- Bom dia Luis! (ai meu Deus, ele sabe meu nome – pensou nervosa já).

Depois de alguns segundos de silêncio...

- Você está linda hoje, mais do que costuma estar!

Anna sentiu seu rosto ruborizar e nem ao menos soube o que dizer. O galã continuou a sua investida.

- Sabe, já estou querendo falar com você há alguns dias... Acho você encantadora, charmosa, o que acha de sairmos para jantar? Depois podemos dançar...

A moça não sabia onde se enfiar, contudo, acabara de ouvir o que sempre sonhou. Luis notou que ela existia e o melhor de tudo: convidou ela para sair.

- Pode ser...

Clarinha respondeu olhando para o chão. Sendo assim, trocaram telefones e combinaram a tal saída.

Anna Clara estava tão nas nuvens, que nem ao menos percebeu que Rodrigo (seu amigo que queria ser muito mais que amigo e só ela não via), observou toda cena, arrasado. Já não bastava ter que ouvir a mulher que ele amava falar desse talzinho o tempo todo, e agora via ela escapar numa saída marcada com o sujeito. O rapaz estava desolado. Rodrigo não era o tipo galã como Luis, mas era um homem alto, de caráter, carinhoso, protetor que só queria amar Anna. Não era nenhum gatão, mas tinha seu charme e o mais importante: era lindo por dentro!

Para desespero de Rodrigo, a noite da saída chegou. Anna estava deslumbrante, num tubinho vermelho e com seu sapato de bico fino. Maquiagem leve, cabelo solto, estava encantadora. Contudo, Anna não sonhava o que seria essa tão esperada noite. Para começar, até que no restaurante estava tudo bem, apesar de que o galã mostrou ser meio ogro comendo (com direito a arroto minha gente!!!). Na casa noturna, na qual foram dançar, as coisas pioraram: bebeu feito um maluco e agiu feito um bagaceiro da pior espécie. Mesmo assim, o que Clarinha sentia falava mais alto. A noite não podia estar perdida... Então para fechar com chave de ouro, foram ao motel. E para desespero de Anna Clara a Ferrari havia virado um Fusca! O cara era medíocre na cama e ela estava anojada, com vontade de sair correndo e sumir. Luis Gustavo em segundos de sonho virou pesadelo...

Rodrigo, sabia que aquela noite não daria em boa coisa e esperava Clarinha na entrada de seu prédio, na chuva, pois queria confortá-la em seus braços quando ela chegasse desconsolada... E assim o fez! Sem falar nada e muito menos a olhar com censura, Rodrigo abraçou ela e falou tudo que sentia. Anna sentiu-se sem chão e finalmente se deu conta de que quem sempre esteve ao seu lado era Rodrigo. Então, eles se beijaram e todos já imaginam que foram felizes juntos.

O Internacional em 2009 está sendo para mim e a torcida colorada o que Luis Gustavo foi para Anna Clara... No início do ano, parecia perfeito, cheio de qualidades, o galã do futebol brasileiro. Goleadas, atuações de luxo, até que aceitamos sair com ele e conhecemos ele melhor. Termina o ano e estamos com um porco, bêbado, medíocre e o pior de tudo péssimo de cama.... O Inter não sabe o que faz e está completamente perdido, sem enxergar que a pose de melhor do campeonato já desmoronou faz tempo!!!!

Só peço a Deus que em 2010 o Inter esteja, como o Rodrigo, na minha porta e volte a me fazer feliz...

Se Rodrigo foi o homem perfeito, o que te impede de ser o Rodrigo do futebol brasileiro INTER??? Abra o olho, pois senão nem a Anna Gauchão topa um motel com você ano que vem...

O Ano de 2009 de sonho, em algumas rodadas, virou pesadelo...

Só falta perder um dedo.

Com o empate de hoje, põe-se fim ao ano. Mais um, aliás, que é perdido durante o próprio campeonato de pontos corridos, o qual estava muito fácil. A venda de jogadores como Alex, Magrão, e principalmente Nilmar, foi igualada a venda do titulo nacional, e talvez até a vaga na LA.

É inacreditável que um time com uma folha salarial gigantesca tenha jogadores de uma dada baixa qualidade, e entregue tudo que foi construído com atitudes e atuações pífias. Um time que faz a melhor campanha do primeiro turno e a segunda pior do returno? Não, espera aí! Isso vai além da incompetência de muitos.

Mesmo a direção atual ter nos dado tudo, sendo realista, hoje ela pensa muito em dinheiro e nos decepciona friamente. Enquanto a maioria dos times trouxe jogadores diferenciados para a briga pelo titulo, o Inter vendeu e não trouxe ninguém para repor. E assim, fica nessa ‘lengalenga’, de perder em casa um joguinho aqui, empatar outro acolá...

Chega de mentiras, chega de tudo. Não quero um desânimo e muito menos direções que só pensam em depositar dinheiro altíssimo em suas contas estrangeiras. Com essas coisas, já basta o Brasil. Não se iguale à merda que está o país meu Inter e continue com os cinco dedos nas mãos.

sábado, 7 de novembro de 2009

Pacto adianta?

Fernando Carvalho admitiu que foi feito um PACTO pelos jogadores do Internacional.
Vencer os cinco jogos que restam na reta final do Brasileirão. Que tal?
Qualidade temos!
Mas não é qualidade que falta!
Porque qualidade tivemos o ano inteiro, e de nada adiantou. Né?
O que é que falta no Inter então?
Eu particularmente, não sei explicar qual é esse fator que o Inter não tem e que está fazendo falta!
Grupo temos!
Não temos?
O Inter já está sem esse fator há algum tempo.
Se tem o melhor plantel, porque não vence?
Se o título escapasse somente em um ano, tudo bem.
Mas não! Eele já está escapando há uns quatro anos e isso me deixa preocupado.
Acredito que esse também seja o pensamento dos outros colorados.
Esperamos que esse PACTO dê certo mesmo, pois temos plantel para vencer!


Saudações Coloradas à todos!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Sua Imagem X



A colorada ao lado, chama-se Clarissa Xavier, e nos mandou esta linda foto do seu quarto.

"Na parede do meu quarto e no meu coração!
Apesar do momento não ser dos melhores, JAMAIS deixarei de amar e de apoiar!"

Faça como a Clarissa, mande sua imagem ou história para nacaogigante@hotmail.com!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Céu e Inferno

Voltando do litoral, ouvindo as músicas do Ataque Colorado, e pensando como pode um time desandar de uma hora para outra. Até semana passada, estávamos pensando em titulo e agora fora do G4 cá estamos. Claro que o campeonato está nos proporcionando uma emoção magnífica pelo seu equilíbrio, envolvendo muitos times por vagas encima e embaixo, e principalmente o titulo, mas o fato céu e inferno foi um choque nostálgico.

Perder para o São Paulo no meio da semana, foi critico pelo que queríamos ao nível do que o time merece por ter um grupo tão elogiado por todos e as qualidades mencionadas a todo tempo. Não vencer ali, foi dificultado ou dado como perdida a ponta da tabela, já que os resultados começaram a nos prejudicar ou assustar. Mas perder para o Botafogo em casa foi demais. Nada contra o futebol carioca, ou algo do tipo. Porém um time que pretende honrar o que é esperado dele, não pode perder para um time que beira o fim da tabela. Óbvio, que o futebol não vive de acertos e lógica, porque é a falta desses quesitos que o faz ser apaixonante, mas nesses momentos chutamos tudo isso, e pedimos vitória.

E o discurso segue o mesmo. Deixar de apoiar jamais né meu Inter, mas... Já que ficaste entre os melhores todo o ano, não saia agora. Honre o que a torcida chama de sangue.

domingo, 1 de novembro de 2009

Alan Kardec vai pro jogo!

Com miterioso esquema tático, o Inter entra em campo para enfrentar o Botafogo!
A tendência é pelo 4-4-2, com Fabiano Eller atuando na lateral esquerda e com Kléber no meio-campo.


Veja abaixo a escalação colorada:

Time do Inter: Lauro; Daniel, Bolívar, Índio e Fabiano Eller; Sandro, Guiñazu, Kléber e D’Alessandro; Alan Kardec e Alecsandro.



Banco de reservas: Michel Alves, Danny Morais, Glaydson, Andrezinho, Taison, Marquinhos e Bolaños.


Esperamos que com a entrada de Alan Kardec, nosso ataque dê uma boa melhorada.
Boa sorte à todos!
Saudações Coloradas!