Páginas

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Dores, dores...

Sabe que quando era mais jovem, minha mãe me ensinou (acho que é o que a sociedade prega isso também), que sentir dores é ruim... Principalmente dor na garganta. Aaaai, aquela dor na garganta que chorávamos e ainda choramos quando resolve trancar aquelas vias e canais, e somos obrigados a tomar líquidos e parecidos. Claro que a minha conclusão não tem nenhum fundamento, mas chego hoje sabendo que como é bom sentir uma dor na garganta! E dor no braço então? Como aquelas pessoas que sofrem com tendinite devirm estar felizes agora! Nada melhor que uma dor nas pernas... Bem na panturrilha, onde os jogadores de futebol até são substituídos quando ela acontece. Como é bom sentir dor!

Não meu caro ainda não está louco. Só usei dessa comparação, meio que forjada e débil para mostrar como estou feliz de voltar do Gigante com essas devidas dores. Voz é uma coisa que não possuo no momento. Acho que o bastante pra falar Inter talvez. Estou como um bêbado no momento. Por mais que esteja em um coma alcoólico estará pronto pra beber mais uma rodada. Troque o álcool por Inter e verá o que sinto agora. As bandeirinhas balançando me deixaram algumas dores no braço também... Mas cada vez que dói enquanto estou digitando, queria tanto que tivesse um jogo agora para que pudesse levá-las ao vento. E a cada “Dá-lhe, Dá-lhe” ou “Vamo, Vamo”, arrebentava um pouco mais minhas panturrilhas, já que um macaco que se preze não pode parar de pular.

Ó meu Deus, como é bom ser colorado. Como é bom poder olhar pro lado e ver que há uma pessoa assim como você, que ama e entende o amor pelo vermelho. Dores? São passageiras e psicológicas. Faço o uso da própria psicologia para rir e me lembrar de como foi magnífico cada momento que passei no concreto do Gigante nesse dia que passou. Amigos, trago e gol. São coisas que o Beira Rio proporciona a todos que comparecem para cantar e mostrar o que sente pelo Inter.

Posso dizer que minha segunda vez foi melhor que a primeira, (no Gigante, é claro). Mas sei que cada vez que for, será melhor que a anterior! (Não vou explicar de novo né?)